Meu porta-bijús


Amigas, vim apresentar pra vocês minha maletinha de bijús...


Nessa maletinha super charmosa vocês podem guardar suas makes,mas preferi botar minhas bijús por ele não caber muita coisa...


Meu hidratante preferido

Amigas, agora vou  mostrar a vocês meus produtos da Avon...Sim, porquê eu também, como consumidora APAIXONADA, não posso deixar de fazer minhas propagandas e assim ajudar vocês a escolherem seus pedidos sem medo...
Vou mostrar aqueles que tenho na minha casa e que uso com frequência, certo?
Esse aqui é meu hidratante que me acompanha todas as noites antes de dormir....Gente, ele é simplesmente ma-ra-vi-lho-so!!!Sabe quando você acorda pela manhã e sente um cheirinho agradável(doce) e tem a sensação de que foi dormir perfumada?Pois é, ele faz isso!Ele é super grande(1 litro) e é também muito bom pra usar após o banho, pois dura 24 horas.Bom,né?
Então é isso!Amanhã venho com outro produtinho pra vocês.

Filme Cartas para Deus


Essa semana assisti esse filme nota 10!Gente, voces precisam conhecer essa  historia!
E como nao 'e novidade:CHOREI HORRORES!
SINOPSE:
Uma história inspiradora de esperança e redenção, Cartas Para Deus mostra o que acontece quando a caminhada de fé de um menino vai ao encontro de um homem que busca um propósito – a jornada transformadora resultante desse encontro toca as vidas de todos ao redor deles dois.

 Tyler é um garoto extraordinário de oito anos. Cercado por uma família e por uma comunidade cheias de amor e munido pela motivação de sua fé, ele encara uma batalha diária contra o câncer com coragem e graça. Para Tyler, Deus é um companheiro, um professor e um grande amigo por correspondência – as orações de Tyler são feitas em forma de cartas que ele escreve e envia diariamente.
As cartas chegam às mãos de Brady, um carteiro cheio de problemas que está diante de um grande dilema na vida. À primeira vista, ele fica confuso e sem saber o que fazer com elas. Em seu tempo livre, ele começa a fazer amizade com a família Doherty – chegando a conhecer não apenas Tyler, mas também sua mãe, sua avó e seu irmão Ben – que estão tentando permanecer firmes em meio às dúvidas que surgiram com a reviravolta de suas vidas.

Movido pela coragem de Tyler, Brady se dá conta do que deve fazer com as cartas; uma decisão surpreendente que transformará seu coração e restaurará seus novos amigos e a comunidade – em um ato revigorante de testemunho ao efeito contagiante da fé inabalável do menino contra as adversidades.

Baseado em uma história real, Cartas Para Deus é um filme profundo, comovente e até mesmo divertido sobre o efeito reanimador que a fé de uma criança pode ter na família, nos amigos e na comunidade.
PARTE DO FILME QUE MAIS ME TOCOU:Quando Tyler pede em uma de suas cartas a Deus,que Ele faca com que sua mae sorria mais...E durante uma volta, de carro, a sua casa, ele percebe que sua mae deu muitas risadas...Dai entao ele diz em pensamentos:"Deus,agora sei que voce recebe minhas cartas"....
Tudo de lindo esse filme!Recomendadissimo,galera!:)

Frase da Semana

"σ qυє ηós sσмσs é σ ρяєsєηtє ∂є Dєυs α ηós. σ qυє ηós ησs тσяηαмσs é ησssσ ρяєsєηтє α Dєυs."
( єłєαησя ρσωєłł )

Menina Mulher

Boa menina...

Complicada, bastante!

Menina de rebeldia doce,

de calar-se muitas vezes,

de chorar muito e de rir mais ainda.

Coração de amar intensamente,

de sentir saudades olhando a lua,

de dormir contando estrelas.

Mulher de ter caixa de ferramentas,

furadeira e pincéis para pintura...

Menina de ter idéias mirabolantes

e de realizá-las custe o que custar.

Menina de ficar manhosa e brigar por muito pouco,

Mulher sem momentos TPM...

Menina de muitos baton
,saltos quinze, vestidos e perfumes marcantes.

Menina de céus azuis, cheiro de flor, desenhos em nuvens e borboletas.

Uma doida absolutamente “Normal”,

Às vezes santa, outras pecadora,

e tantas outras vezes

frágil e forte ao mesmo tempo.

Bicho esquisito,

mais que esquisita, diria eu...!

Indomada mas sem ser megera.

Mulher com medo de marimbondo,

Menina sem medo da vida,

brigando com marimbondo pelas jabuticabas no quintal.

Menina de casulos de seda,

mulher de metamorfoses.

Só não tem tamanho!

Quem pode entender?


Olho por olho e dente por dente

Um dia desses lemos em um adesivo colado no vidro traseiro de um veículo a seguinte advertência: "minha educação depende da tua"!
Ficamos a imaginar qual seria o conceito de educação para quem pensa dessa forma.
Ora, se nossa educação dependesse dos outros, certamente seria tão instável quanto a quantidade de pessoas com as quais nos relacionamos.
Ademais, se assim fosse, não formaríamos jamais o nosso caráter. Seríamos apenas o resultado do comportamento de terceiros. Refletiríamos como se fôssemos um espelho.
A educação é a arte de formar caracteres, e por conseguinte, é o conjunto de hábitos adquiridos. Assim sendo, como fica a nossa educação se refletir tão somente o comportamento dos outros como uma reação apenas?
O verdadeiro caráter é forjado na luta, na luta por dominar as más tendências, por não revidar uma ofensa, por retribuir o mal com o bem.
Um amigo tinha o costume de dizer: "bateu, levou!" Um dia perguntamos se ele admirava os mal-educados que tanto criticava. Imediatamente ele se posicionou em contrário.
- É claro que eu não aprovo pessoas mal-educadas. Então questionamos outra vez:
- Se não os admira, porque você os imita?

Ele ficou um tanto confuso, pensou um pouco e respondeu:
- É, de fato deveríamos imitar somente o que achamos bonito.
Dessa forma, a nossa educação não deve jamais depender da educação dos outros, menos ainda da falta de educação dos outros.
Todos os ensinamentos do Cristo, a quem a maioria de nós diz seguir, recomendam apresentar a outra face. Imaginemos se Jesus tivesse ensinado: "se alguém te bater numa face, esmurra-lhe a outra", ou então "faz aos outros tudo aquilo que não desejas que te façam". Nós certamente não O aceitaríamos como modelo a ser seguido.
Assim sendo, lutemos por nos educar segundo os preceitos do Mestre de Nazaré, que diante dos momentos mais dolorosos de Sua vida manteve a calma e tolerou com grandeza todas as agressões sofridas.
Não nos espelhemos nos que não são modelos nem de si mesmos. Construamos o nosso caráter com os exemplos nobres.
Quando tivermos que prestar contas às leis que regem a vida, não encontraremos desculpas para a nossa falta de educação, nem poderemos jogar a culpa nos outros, já que Deus nunca deixou a Terra sem bons exemplos de educação e dignidade.

* * *
Não adotemos os constumes comuns que nada tem de normais. O normal é cada um buscar a melhoria íntima com os recursos internos e externos que Deus oferece.
As rosas, mesmo com as raízes mergulhadas no estrume, se abrem para oferecer ao mundo o seu inconfundível perfume.
O sândalo, por ser uma árvore nobre, deixa suave fragrância impregnada no machado que lhe dilacera as fibras.
Assim, nós também podemos dar exemplos dignos de serem imitados.


Sem tempo



O POEMA

Eu me ajoelhei para orar,
mas não por muito tempo,
Pois tenho muito a fazer.
Eu tive de apressar e ir trabalhar
Pois contas em breve precisam ser pagas.
Assim, me ajoelhei e orei apressadamente.
e me levantei depressa de meus joelhos.
Minha obrigação Cristã foi feita.
Minha alma pode descançar em paz...
Por todo o dia eu não tive tempo
De espalhar uma palavra de alegria
Sem tempo de falar de Cristo aos amigos,
Êles ririam de mim, eu receio.
Sem tempo, sem tempo, muita coisa a fazer,
era minha constante reclamação
Sem tempo para dar às almas necessitadas
Mas por último o tempo, o tempo de morrer,
eu fui perante Nosso Senhor,
eu entrei e fiquei de olhos baixos.
Pois em Suas Mãos , Deus tinha um livro,
O Livro da Vida!
Deus olhou em Seu Livro e disse:
'' Seu nome não consigo encontrar,
Uma vez Eu ia escrever seu nome...
Mas nunca encontrei tempo''!!


Momentos

мσмєทτσs cσмσ єssє ∂єvєм sєr gυαr∂α∂σs ραrα sємρrє ทα мємóriα є ทσ ♥!

Frase da Semana


Ser feliz ou infeliz depende em grande parte de nossa disposição, não das circunstancias!

Não deixe para amanhã

A vida sempre surpreende. Ou talvez se deva dizer que a morte surpreende a vida? Afinal, ela sempre aparece em momento inoportuno.

Quando estamos para nos aposentar e gozar do que consideramos um merecido descanso. Ou quando estamos nos preparando para o casamento.

Ou, ainda, quando acabamos de passar por um concurso que nos garantiria uma carreira de sucesso.

Por isso mesmo, nunca devemos deixar para amanhã as declarações de afeto.

Por vezes, tivemos um professor que nos influenciou muito e realmente deu sentido, propósito e direção à nossa vida. Entretanto, nunca reservamos um tempo para lhe agradecer.

De repente, ele morre e ficamos a pensar: "meu Deus, ao menos eu deveria lhe ter escrito uma carta."

De outras, brigamos com alguém e punimos a pessoa com nosso silêncio. Passam-se os dias, os meses, os anos.

E continuamos com a punição. Aí a pessoa morre.

O que acontece? Quase sempre o remorso nos alcança e começamos a cogitar: "eu devia ter falado com ela."

Para compensar a nossa culpa, vamos à floricultura e compramos muitas flores, para enfeitar o caixão, a sala mortuária, o túmulo.

Teria sido muito mais compensador ter comprado algumas flores antes, um pequeno ramalhete e ter tentado fazer as pazes. Reatar a afeição.

É até possível que a pessoa rejeitasse as flores, as jogasse no chão. E nos desse as costas. Mas, então, o problema não seria mais nosso, mas exclusivamente dela.

Um dos exemplos mais comoventes a respeito do arrependimento por deixar para depois, nos vem de uma carta escrita por uma jovem americana ao namorado.

É mais ou menos assim: "lembra-se do dia em que eu pedi emprestado seu carro novo e o amassei?

Achei que você ia me matar, mas você não me matou.

Lembra-se de quando eu o arrastei para ir à praia, e você disse que ia chover, e choveu?

Pensei que você fosse dizer: ‘eu não a avisei?’, mas você não falou.

Lembra-se da época em que eu paquerava todos os rapazes para lhe fazer ciúmes, e você ficava com ciúmes?

Achei que você fosse me deixar, mas você não me deixou.

E quando deixei cair torta de amora nas suas calças novas?

Pensei que você nunca mais fosse olhar para mim, mas isso não aconteceu.

E quando me esqueci de lhe dizer que o baile era a rigor, e você apareceu de jeans?

Achei que você fosse me bater, mas você não me bateu.

Havia tantas coisas que eu queria fazer para você quando você voltasse do Vietnã...

Mas você não voltou..."
...............

Não permitamos que a morte arrebate a chance de dizermos o quanto amamos as pessoas.

O quanto elas são importantes para nós. Pode ser uma avó, um irmão, um amigo.

Não necessariamente somente pessoas do círculo familiar.. Aprendamos a esboçar gestos de amor e a dizer palavras que alimentam a alma do outro.

Mesmo que um dia alguém nos tenha dito que não é bom o outro saber que o amamos, porque se aproveitará de nós.

Mesmo que outro alguém tenha insinuado que parecemos tolos quando ficamos afirmando a intensidade do nosso amor, da nossa amizade e da nossa ternura.

O ser mais perfeito que andou pela Terra, o Mestre Galileu, não temeu demonstrar amor e dizer: "amai-vos como eu vos amei."

Mães que oram


Guerreiras que oram

A força da intercessão materna.
A oração de uma mãe em favor do filho é, abaixo de Deus, a maior proteção que os filhos podem receber. E quando essas mulheres se unem para orar em favor dos filhos, um poder sobrenatural é liberado e muitos milagres começam a acontecer.

De acordo com a Bíblia Vida Nova, “a bênção era a invocação paterna (materna) do favor divino sobre o filho”. O poder pertence a Deus, mas a mãe tem autoridade espiritual e, por isso, invoca esse poder sobre a vida de seu filho. Isso é maravilhoso! Em toda a Bíblia encontramos vários exemplos de pais que abençoaram seus filhos e estes por terem sido abençoados foram bem-sucedidos.

Por meio de suas orações e palavras uma mãe pode criar na vida de seu filho circunstâncias favoráveis que o abençoarão. Como também poderá criar circunstâncias desfavoráveis que o amaldiçoarão.

Ser abençoado é ter a graça de Deus sobre nós. Quando uma mãe dobra seus joelhos em oração pelo seu filho, ela está não só liberando a graça de Deus sobre a vida dele como também protegendo-o contra as ciladas do inimigo.
Mãe, se você ainda não se despertou para isso, peça agora mesmo ao Senhor este discernimento, pois quando você compreende a importância de orar pelos seus filhos, você passa a ver a diferença na vida deles.


Mentira ou Descrédito

Mentira e descrédito
Você costuma mentir para seus filhos?
É possível que, sem uma reflexão aprofundada, a maioria dos pais responda que não. Que a mentira não é uma boa medida pedagógica.
No entanto, é muito comum, no trato com os filhos, observarmos pais, mães e outros educadores, lançando mão de pequenas mentiras para convencer os filhos a fazerem o que eles desejam ou o que deve ser feito.
Assim é que, há poucos dias, vimos pelo telejornal, uma mãe convencer o filho a embarcar no avião, num dia em que jogaria o time para o qual ele torcia, mentindo que na aeronave ele poderia assistir ao jogo pela televisão.
Ao ser entrevistada, ela respondeu ao repórter que havia inventado uma "mentirinha" para que o filho embarcasse sem dar trabalho.
Apenas uma mentira sem importância para a mãe, mas de grandes proporções para aquele garotinho ávido por assistir seu time disputar uma partida decisiva.
Muitas vezes, para nos livrar da insistência do filho, prometemos coisas que sabemos, de antemão, que não vamos cumprir.
Se ele quer ir ao zoológico, por exemplo, prometemos que o levaremos noutro dia, e esse dia não chega nunca.
Se não quer ir para a escola, fazemos mil propostas interessantes, mas, tão logo ele consinta em ir, nos esquecemos delas.
Vezes sem conta, percebemos pais que enganam os filhos dizendo que vão dar uma saidinha e logo voltam, e se demoram dias em viagens de lazer, enquanto os pequenos, desiludidos, esperam e esperam...
São mentiras que, aparentemente sem importância, constróem nas crianças a descrença, a desconfiança e a insegurança.
São essas pequenas pedras apodrecidas que levantam homens falsos e mentirosos que não têm compromisso com a verdade e, muito menos, com os sentimentos alheios.
Crescem enganados e, a devolvem à sociedade conforme a receberam.
Depois, essa mesma sociedade reclama quando é iludida com promessas não cumpridas, com plataformas que não passam de simulacro, com mentiras e enganações.
É importante que pensemos, com seriedade, nas palavras destiladas dia a dia, junto aos filhos.
É imprescindível que analisemos muito bem as promessas que fazemos e, uma vez feitas, que sejam cumpridas. Mas, se por um motivo ou outro não as pudermos cumprir, que expliquemos o motivo, sem mentir nem iludir.
No princípio pode parecer difícil, mas a experiência prova que a verdade é eficaz e duradoura e que a mentira, além de ter as "pernas curtas", é ineficiente e prejudicial.
Pense nisso!

A mentira é como ácido corrosivo; dilacera os laços afetivos e os rompe pouco a pouco.

A verdade é a pedra boa que, empregada na construção do afeto, a torna sólida e duradoura, resistente a qualquer tempestade.


Só se aprende a fazer Fazendo

Só se aprende a fazer, fazendo!

Pedro, no auge de seus seis anos de idade, levantou-se mais cedo em uma manhã de sábado, disposto a preparar uma boa surpresa para seus pais. Queria fazer panquecas para o café da manhã.
Pegou uma tigela e uma colher, subiu numa cadeira, abriu o armário, e puxou a lata de farinha.
Acabou derramando todo o conteúdo no chão. Juntou um pouco da farinha e jogou na tigela. Misturou uma xícara de leite e acrescentou açúcar, enquanto deixava rastros por toda a cozinha.
Ele estava coberto de farinha e frustrado. Queria preparar uma boa surpresa para sua mãe e para seu pai, mas estava estragando tudo.
Agora ele não sabia o que fazer, se colocava tudo no microondas ou no fogão e sequer sabia como fazer o fogão funcionar!
De repente, ele viu o gatinho lambendo a tigela e o expulsou da cozinha, mas acabou derrubando uma cartela de ovos ao chão.
Freneticamente tentou limpar aquela monumental bagunça mas escorregou nos ovos, lambuzando todo o seu pijama.
Foi aí que ele viu o seu pai parado, na porta da cozinha, a observá-lo.
Assustado, Pedro arregalou os olhos. Tudo que ele pretendia fazer era preparar uma boa surpresa. Mas o que conseguiu mesmo foi fazer uma terrível bagunça.
O garoto estava certo de levar uma tremenda bronca, talvez até mesmo uma surra.
Mas o seu pai, atravessando cuidadosamente aquela bagunça, tomou-o nos braços e o acariciou, sujando também o próprio pijama.
***
Assim também acontece conosco e com Deus, nosso Pai Maior.
Na tentativa de acertar, por vezes acabamos fazendo uma tremenda confusão, uma bagunça, e ficamos sem saber o que fazer.
Certos de que receberemos um tremendo castigo, somos surpreendidos com uma nova chance para tentar de novo, uma nova manhã para exercitar outra vez, uma nova existência para fazer bem feito.
Deus, que é a inteligência suprema do universo, um pai amoroso e justo, sabe que só se aprende a fazer, fazendo.
É por essa razão que nos oferece tantas chances quantas forem necessárias para que o aprendizado se efetive, tanto no aspecto intelectual como no moral.
E é assim que vamos aprendendo a lidar com nossas virtudes e vícios, ampliando as primeiras e transformando os segundos, até atingir a perfeição relativa que cabe a todos os filhos de Deus.
Conforme ensinou Jesus, o Mestre dos Mestres, para entrar no reino dos céus é preciso nascer de novo tantas vezes quantas sejam necessárias, até que possamos fazer brilhar a nossa luz.
Até que consigamos superar essa etapa chamada humanidade e alcançar a condição de coração puro, à imagem e semelhança de Deus, nosso criador, que é a luz por excelência.




Você se interessa pelos outros?


Você se interessa pelos outros?

Quando o Duque de Windsor era Príncipe de Gales, teve que dar uma volta pela América do Sul.
Antes de partir para tal viagem, passou meses estudando espanhol, com o objetivo de poder fazer discursos em público, no idioma dos países que visitava.
Obviamente, os sul-americanos gostaram mais dele por isso.
* * *

 Um antigo ator da Broadway, certa vez foi entrevistado por um estudioso, que pesquisava a origem do carisma das pessoas.
Perguntando ao artista qual poderia ser a possível razão de ser tão querido pelo público, esse lhe respondeu:
Cada vez que entro em cena, ainda digo a mim mesmo:
Estou muito grato porque esta gente veio me ver. A sua presença faz com que minha vida corra de um modo agradável.
E, com certa emoção nas palavras, terminou afirmando:
Vou dar-lhes, pois, o melhor que me for possível.
* * *
Conta-se também que, certa feita, Theodore Roosevelt foi à Casa Branca, quando já não era mais o Presidente dos Estados Unidos.
Sua sincera estima pelas pessoas humildes ficou patente, quando saudou todos os antigos empregados da Casa Branca pelos seus nomes, mesmo as serventes que lavavam louça na cozinha.
Quando viu Alice, a empregada da cozinha, perguntou-lhe se ainda fazia pão de milho.
Alice respondeu que algumas vezes o fazia para os empregados, mas não para os patrões.
Eles demonstram mau gosto, gracejou Roosevelt, e direi tal coisa ao Presidente quando o vir.
Alice então lhe trouxe um pedaço, num prato, e ele atravessou o gabinete comendo-o, saudando os jardineiros e trabalhadores na sua passagem...
Um homem que havia sido porteiro da Casa Branca, durante quarenta anos, disse com lágrimas nos olhos:
Foi o único dia feliz que tivemos, durante quase dois anos, e nenhum de nós o trocará por uma nota de cem dólares.
* * *
Realmente, o interesse pela vida dos outros faz mágicas, e sua falta causa desastres.
Alfred Adler, famoso psicólogo vienense, certa vez escreveu em uma de suas obras:
É o indivíduo que não está interessado no seu semelhante quem tem as maiores dificuldades na vida e causa os maiores males aos outros.
É entre tais indivíduos que se verificam todos os fracassos humanos.
A reflexão é valiosa e séria. Não há adversário mais competente que este, para se combater o orgulho e o egoísmo.
O interesse sincero pelo próximo nos mostra que não somos melhores que os outros, que somos irmãos.
O interesse sincero pelo próximo nos faz dividir nossa atenção, nosso tempo, nossa vida e tudo mais com esses que nos cercam.
* * *
A pessoa que mais se interessou pela vida de seu semelhante, sempre deixou muito claro que a Lei Maior que deveria reger nossa vida em sociedade seria:
Fazer aos homens tudo o que queiramos que eles nos façam, pois é nisso que consistem a Lei e os profetas.
O interesse pela vida do outro é o germe do amor maior que todos buscamos.
O interesse pela vida do semelhante é o caminho mais seguro e prazeroso para a almejada felicidade.



Ser Feliz ou ter razão

"Ser feliz ou ter razão?"

Oito da noite, numa avenida movimentada.
O casal já está atrasado para jantar na casa de uns amigos.
O endereço é novo e ela consultou no mapa antes de sair.
Ele conduz o carro.
Ela orienta e pede para que vire, na próxima rua, à esquerda.
Ele tem certeza de que é à direita.
Discutem. percebendo que além de atrasados, poderiam ficar mal-humorados, ela deixa que ele decida.
Ele vira à direita e percebe, então, que estava errado.
Embora com dificuldade, admite que insistiu no caminho errado, enquanto faz o retorno.
Ela sorri e diz que não há nenhum problema se chegarem alguns minutos atrasados.
Mas ele ainda quer saber:
- Se tinha tanta certeza de que eu estava indo pelo caminho errado, devia ter insistido um pouco mais...
E ela diz:
- Entre ter razão e ser feliz, prefiro ser feliz.
Estávamos à beira de uma discussão, se eu insistisse mais, teríamos estragado a noite!

Moral da história:

Esse fato foi contado por uma empresária, durante uma palestra sobre simplicidade no trabalho.
Ela usou a cena para ilustrar quanta energia nós gastamos apenas para demonstrar que temos razão, independentemente, de tê-la ou não.
Diante disso me pergunto:
'Quero ser feliz ou ter razão?'
E lembrei de um outro pensamento parecido, diz o seguinte:
“Nunca se justifique. Os amigos não precisam e os inimigos não acreditam!


Ser Especial

Ser especial



Conta-se que um famoso palestrante começou um seminário segurando uma nota de cem reais. Para as cerca de duzentas pessoas que se encontravam na sala, ele perguntou quem queria aquela nota de cem reais.
De imediato, várias mãos começaram a se erguer. Em verdade, todos, na sala, desejavam o dinheiro.
Então, ele amassou a nota e perguntou outra vez quem desejava possuí-la. As mãos continuavam erguidas.
Ele tornou a amassar a nota um tanto mais. Depois de se encontrar bem amarrotada, ele a mostrou ao público participante, repetindo a pergunta.
A situação não se alterou. Eles continuavam a querer a nota. E, agora, pareciam ansiosos, esperando que ele decidisse de uma vez por todas, quem a receberia.
Mas ele a colocou com cuidado sobre a mesa, procurando alisá-la, a fim de que melhorasse seu aspecto. Enquanto ia fazendo isso, lentamente, foi falando:
"O que acabamos de vivenciar nos deve servir de grande lição. Não importa o que eu faça com o dinheiro, vocês ainda irão querer esta nota, porque ela não perde o valor.
Amarrotada, amassada, dobrada, envelhecida, enrugada, ela continuará a ter o mesmo valor, cem reais.
Pois bem. Em nossas vidas também ficamos um tanto amassados, amarrotados pelas desilusões que nos permitimos, pelas dificuldades próprias da vida, pelo cansaço que vai tomando conta de nós.
Às vezes nos dobramos ante o peso das dores que nos chegam. De outras, o pranto que derramamos pela perda financeira ou pelo abandono de um amigo, nos deixa com aspecto doentio, enrugado.
É como se nos permitíssemos murchar pela dor que estamos vivendo.
Os anos pintarão marcas em nossas faces, alterando o brilho dos olhos e a maciez da pele. As mãos perderão um pouco da sua flexibilidade e as pernas demorarão um pouquinho mais para a realização dos movimentos.
A nossa memória poderá nos pregar algumas peças, ensejando-nos trocar nomes de pessoas, esquecer datas importantes ou fatos ocorridos.
De outras vezes podemos nos sentir como notas sujas, pelas decisões erradas que tomamos. É quando o remorso chega e tenta se assenhorear de nossa mente.
Quando tudo isso acontece, nos sentimos desvalorizados, acreditamos que somos homens ou mulheres sem valor.
Mas, não é verdade. Não importa quanto estejamos sujos, maltratados, amarrotados, pisados, enrugados. Continuamos a ter valor. Um valor especial."
Isto porque cada um de nós é especial.
Apesar do que aparentemos, Deus prossegue a nos amar e estender, todos os dias, a estrada renovada da oportunidade.
Por isto, não se desgaste, nem entre em depressão por descobrir que é uma pessoa com muitas falhas, que cometeu erros.
É sempre tempo de recomeçar. Hoje é o melhor momento. Levante a cabeça. Tome a decisão. E mude.
Se praticou o mal, proponha-se a consertar o que for possível, retificar as falhas. Acertar o roteiro.
Se está magoado, ferido, desalentado, sacuda a poeira dos sentimentos que o deixam doente, observe o dia que nasce e consciente de que você é especial, único, adentre pelos caminhos que produzem contentamento, vontade de viver, alegria.
Por mais abandonado que você se sinta, mais desventurado que creia se encontrar, não existe ninguém sobre a Terra que não possua alguém que o ame.
Pense nisso. E valorize isso. Pode ser o amor de uma mãe, de um pai, o calor de um irmão. Pode ser a esposa, o esposo, o filho, um parente, um amigo.
Pode até ser simplesmente um cão, um gato, um animal de estimação.
Se por acaso você descobrir que ninguém o ama, creia, acima e além de todos, quem nos criou, quem criou você o ama de forma incondicional.
Assim, espanque a tristeza. Acabe com o desânimo. Levante a cabeça e recomece a viver.
Lembre: hoje é o melhor dia de toda a sua vida. E você é um ser muito, muito especial.






Vivendo como as flores

- Mestre, queria lhe perguntar algo: como faço para não me aborrecer com as pessoas? Algumas falam demais, outras são ignorantes. Algumas são indiferentes. Sinto ódio das que são mentirosas e sofro com as que caluniam.
- Pois viva como as flores – advertiu o mestre.
- Como é viver como as flores? – perguntou o discípulo.
- Repare nestas flores – continuou o mestre, apontando os lírios que cresciam no jardim. – Elas nascem no esterco, entretanto são puras e perfumadas. Extraem do adubo malcheiroso tudo que lhes é útil e saudável, mas não permitem que o azedume da terra manche o frescor de suas pétalas. É justo que você se angustie com as próprias culpas, mas não é sábio permitir que os vícios dos outros o importunem.
Os defeitos deles são deles, e não seus. Se não são seus, não há razão para aborrecimentos. Exercitar, pois, a virtude é rejeitar todo mal que vem de fora. Isso é viver como as flores.

Que tal começar a praticar esse ensinamento aprendido aqui hoje? A escolha está em suas mãos.


Se você Ama

Se você ama, diga que ama. Não tem essa de não precisar dizer porque o outro já sabe. Se sabe, maravilha… mas esse é um conhecimento que nunca está concluído. Pede inúmeras e ternas atualizações. Economizar amor é avareza. Coisa de quem funciona na frequência da escassez. De quem tem medo de gastar sentimento e lhe faltar depois. É terrível viver contando moedinhas de afeto. Há amor suficiente no universo. Pra todo mundo. Não perdemos quando damos: ganhamos junto. Quanto mais a gente faz o amor circular, mas amor a gente tem. Não é lorota. Basta sentir nas interações do dia-a-dia, esse nosso caderno de exercícios.
Se você ama, diga que ama. A gente pode sentir que é amado, mas sempre gosta de ouvir e ouvir e ouvir. É música de qualidade. Tão melodiosa, que muitas vezes, mesmo sem conseguir externar, sentimos uma vontade imensa de pedir: diz de novo? Dizer não dói, não arranca pedaço, requer poucas palavras e pode caber no intervalo entre uma inspiração e outra, sem brecha para se encontrar esconderijo na justificativa de falta de tempo. Sim, dizer, em alguns casos, pode exigir entendimentos prévios com o orgulho, com a bobagem do só-digo-se-o-outro-disser, com a coragem de dissolver uma camada e outra dessas defesas que a gente cria ao longo do caminho e quando percebe mais parecem uma muralha. Essas coisas que, no fim das contas, só servem para nos afastar da vida. De nós mesmos. Do amor.
Se você ama, diga que ama. Diga o seu conforto por saber que aquela vida e a sua vida se olham amorosamente e têm um lugar de encontro. Diga a sua gratidão. O seu contentamento. A festa que acontece em você toda vez que lembra que o outro existe. E se for muito difícil dizer com palavras, diga de outras maneiras que também possam ser ouvidas. Prepare surpresas. Borde delicadezas no tecido às vezes áspero das horas. Reinaugure gestos de companheirismo. Mas não deixe para depois. Depois é um tempo sempre duvidoso. Depois é distante daqui. Depois é sei lá…


************************************************************************************
Se você ama, diga que ama. Não tem essa de não precisar dizer porque o outro SUPOSTAMENTE já sabe. Atitude, minha querida. Atitude, meu querido! Demonstrar afeto não mata não, viu? Muito pelo contrário: proporciona um bem-estar sem igual para quem recebe. E vem cá, tem coisa melhor do que amar e extravasar isso? Porque eu costumo dizer que ser amado é muito bom, mas nada supera o infinito prazer de amar. É isso mesmo. AMAR! O amor parte de você. Ter amor de volta é maravilhoso, mas amar sim é realmente extraordinário. Pergunte isso as pessoas que não amam quem as ama; a quem se acomodou tanto ao ponto de dizer “…mas ele me ama tanto, Suely…” Sim, ô mulher, e você? Ama mesmo ele? -pergunto eu. E ouço um “É…” daqueles “meia-boca”.



O amor não pode esperar. Principalmente o amor próprio. E este não combina nada com se acomodar em relações mornas.